A verdadeira história

domingo, 2 de janeiro de 2011

Às vezes a felicidade dá-me medo


Pode parecer ridículo, mas é verdade. Sou tão feliz que tenho medo do futuro. A questão é que há tantas desgraças no mundo e, elas não acontecem só aos outros, por mais que em momentos pareça. Às vezes, a desgraça também bate à nossa porta e, das maioria das vezes de forma inesperada. E, é disso que tenho medo. Podem não acreditar que há um verdadeiro amor, que há um homem da nossa vida, que um amor pode ser eterno, mas eu acredito. E, já encontrei o homem da minha vida. Posso ser muito nova e os nossos caminhos podem desencontrar-se, mas o amor esse vai ficar sempre comigo. É impossível não gostar de alguém que por mais que ouça, constantemente críticas, (as minhas, claro) não deixa de dar tudo por mim. Eu gosto de cada centímetro dele, é inevitável. Quando estou com ele parece que no mundo só há duas pessoas, porque o resto não importa.

Mais uma vez o M surpreendeu-me, pela positiva, claro. A minha passagem de ano não podia ter sido melhor. Passar todo o tempo com ele foi a melhor coisa que me podiam ter proporcionado para entrar em 2011 com todos os pés direitos do mundo, sem tropeçar. Depois de festejarmos com a família dele e os nossos amigos, ele levou-me para uma pensão. Foi a melhor noite do ano. Adormecer com ele, acordar com ele, foi..., nem sei explicar bem. Sabem aquela sensação de tranquilidade, mas ao mesmo tempo com muita energia? Eu sentia-me assim. Por mim passava um ano com ele ali.

Mas no final de todos os bons momentos que me proporciona ainda se lembra de comprar uma revista para mim, a Happy Woman, que sabe que eu gosto, quando vai comprar tabaco. E são estas pequenas coisas que me deixam mais do que feliz.

Ainda não vos contei mas o meu presente de Natal foi tão fofinho. São dois anéis, simples mas bonitos. Na verdade é um anel, formado por dois. Um diz "Amo-te" e o outro diz "És tudo para mim".

Sabem ter medo da felicidade também pode causar angústia, mas quando estou com ele esqueço tudo. Ele faz-me tão feliz, que até tenho medo... Medo de um futuro pouco risonho para nós os dois. A verdade é que imaginar-me sem ele é o mesmo que imaginar que vou morrer. Não dá... Gosto demasiado dele.

4 comentários:

  1. oh minha querida ainda bem que estás feliz , e a ideia dos anéis é mesmo fofinha.
    Às vezes também tenho medo do futuro, ainda mais desde que uma colega minha perdeu o namorado na praia com uma paragem de digestão, tenho medo que o futuro pregue estas partidas de mau gosto :S

    ResponderEliminar
  2. Por vezes tenho medo do que o Futuro me reserva, confesso.
    Tudo de bom no ANO 2011 :D

    ResponderEliminar

Ohh que fofinhos(:

Obrigado,
Beijinhos*