A verdadeira história

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Dizeres e mal dizeres*13

Já há muito que não escrevia nesta rubrica e hoje apeteceu-me escrever sobre um assunto que mexe muito comigo, não pela positiva, obviamente. Hoje quero falar-vos sobre LAMENTAÇÕES. Ora leiam.


O ser humano tem um defeito, aliás um grande defeito. É capaz de passar a maior parte da sua vida a lamentar-se. Ora porque não tem dinheiro para ter um carro topo de gama, ora porque o vizinho tem uma mulher com altas mamas, ora porque o cão do amigo levanta a pata e o dele não, ora porque não há dinheiro para aquela extravagância, ora porque não pode ir de férias, porque não soube poupar o dinheiro, ora isto e ora aquilo... E, os portugueses queixam-se porque estamos em crise, porque não há dinheiro nem sequer para comer, mas mesmo assim vemos carros de luxo no top dos mais vendidos, vemos as lojas de roupa barata a fechar, mas as lojas que vendem a preços elevados raramente encerram e vemos muitas mais coisas que não são nada ditas de uma crise financeira, que agora não me recordo.

No entanto, eu penso que todos se queixam, mas os que realmente precisam são os que menos se queixam. Aliás, já vi várias reportagens realizadas a pessoas com imensas dificuldades financeiras, que nem sequer têm água canalizada, ( como é que ainda se vê este tipo de coisas em pleno século XXI, à vezes ainda me interrogo), e, é impressionante como no meio de tanta miséria e solidão ainda conseguem viver com um sorriso na cara. Podem até não ter marisco para o jantar, mas têm um prato de sopa que dão "graças a Deus" por o ter.

Posso dizer que não tenho uma vida facilitada. Se quiser um carro não chego à beira dos meus pais e peço e no dia seguinte ele está na minha garagem, não, de todo, mas mesmo assim não deixo de sorrir. Embora, não seja pobre, também não sou rica, e não é por isso que me lamento. Sei que dantes podia comprar roupa de marca e à quantidade que queria, agora não posso e estou feliz na mesma. Se custou deixar de comprar tudo o que via nas lojas? Claro que custou, não digo que foi fácil, mas também admito que, hoje, dou mais valor às coisas que tenho. Se me custa agora dar 65€ por um top, como já dei? Custa e nem dou. Prefiro comprar dois ou três por esse preço. Se gostava de ter muita coisa? Adorava, mas sou feliz com aquilo que tenho e se quiser mais tenho de fazer por isso.

Com 18 anos, quase 19 sei que tenho de lutar por aquilo que quero. Não é por me lamentar que as coisas que desejo me vão cair do céu. Desejo há muito uma máquina fotográfica e sei que os meus pais não têm possibilidade de me dar. Nunca lhes pedi, nem preciso de o fazer, porque sei que se eles pudessem me davam o mundo.

Sei que ainda tenho muito para crescer, mas não deixo de sorrir e lutarei sempre para sorrir o mais que conseguir. Muitos dizem que vivo num mundo à parte, onde tudo é cor-de-rosa e até existem príncipes encantados, mas eu não me importo que digam que sou sonhadora e que o mundo não é tão belo como eu imagino, porque só assim eu sou feliz.

Quando se lamentarem de algo pensem que há sempre algo de bom nas nossas vidas. Eu tenho os meus irmãos que são as pessoas mais importantes para mim. Depois sei que tenho os meus pais, a minha família, amigos e o meu namorado e só tenho de sorrir por isso, porque muitos dariam tudo para ter metade do que eu tenho. Quero sorrir, porque hoje eu sou feliz. "Amanhã logo se vê"...

8 comentários:

  1. Não tens de agradecer (:
    Oh obrigada, e sim tento escrever com o coração, o que sentimos e pensamos é o mais importante

    ResponderEliminar
  2. Amo quando escreves assim, não me canso de ler **
    Ah, e o tema é mesmo um desastre, e é uma pena!

    ResponderEliminar
  3. esta bem, aguardo :p
    tens toda a razão nessa tudo crítica, talvez a maioria de nós agora tenho que agir dessa forma...

    beijinho*

    ResponderEliminar

Ohh que fofinhos(:

Obrigado,
Beijinhos*